quarta-feira, 10 de março de 2010

Entra e sai (no caso, sai e entra)

Se ontem noticiei duas baixas na cena gastronômica da cidade, hoje comunico um retorno. Liguei há pouco no Outono 81 (Rua Outono, 81, Carmo; 31 3227-3009) e fui informado que as chefs Cândida Gomide (Graciliano e Casa Bonomi) e Patrícia Cavalcanti (Spazio d’Olivo e o estrelado L’Auberge Bretonne, na França), responsáveis pela reativação do local como bar de vinhos, saíram de lá. Pelo que conferi pessoalmente logo que assumiram a cozinha da casa, em abril passado, fizeram um belo trabalho, mas ainda não consegui saber por que a deixaram. Para o lugar delas veio a chef Ana Carmelita Lara.

"Combatente" independente nas cozinhas de BH, Ana já havia trabalhado no Outono 81 há, talvez, uns quatro anos. Também trabalhou na Casa Bonomi e Cozinha Saramenha, este último um restaurante (hoje extinto) que funcionou anexo a interessante ateliê de cerâmica vizinho a Ouro Preto, à beira da estrada. Também integrou com os amigos Bernardo Silveira e a uruguaia Jimena Castiglioni o projeto Itinerante, pelo qual promoveram jantares em locações alternativas de Belo Horizonte.

À noite, o Outono 81 começou tímido: só às quintas. Tudo girava em torno dos flights, rápidas degustações lideradas por um "comandante" que ajudava a guiar os enófilos pelas sutilezas de cada rótulo. Avaliaram que havia público suficiente para mais noites e assim foi feito. Puseram DJ, criaram entradinhas harmonizadas com as taças dos flights, desenvolveram oferta de pratos individuais. Até almoço teve. Agora parece que um certo equilíbrio é procurado: o bar de vinhos continua funcionando às noites de quarta a sábado, mas haverá um recuo na cozinha. Me parece prudente, então.

Petiscos da época em que Ana trabalhou na casa voltaram com ela, como o porção de arancini (bolinho de risoto) com açafrão italiano (R$ 26, 10 unidades). Mais opções para abrir o apetite ou simplesmente servir de forro para algumas taças rápidas: cesta de pães da Casa Bonomi com tapenade de azeitonas pretas, manteiga e pesto de pimentão vermelho com castanha do pará (R$ 16); patê de fígado de galinha com redução de vinagre balsâmico e torradas de brioche (R$ 26); e porção de presunto cru, culatello e capocollo de Carlos Chiari (R$ 35).

Por falar em taças rápidas, o flight continua sendo a principal atração do lugar: quatro taças de rótulos diferentes saem R$ 26 e, com duas miniporções de receitas harmonizadas, por R$ 39. Se ainda restar apetite, pense a respeito: turnedô ao molho de cogumelo porcini e galette de batatas (R$ 45), linguado com cuscuz marroquino e molho mediterrâneo (R$ 38) e tagliatelle ao molho de tomate, manjericão e mussarela de búfala (R$ 33) - todos servem uma pessoa. Pratos como esses mudam quinzenalmente.

Preciso voltar lá.

6 comentários:

  1. Caro Eduardo,
    Esse clã Vianna é famoso no cenário.
    Que diga Clóvis sobre essa Patuscada.
    BH ganhará uma nova casa com pedigree.
    A Favorita perde (aquele ossobuco...hum).
    É um entra e sai de chefs, casas e donos.
    Caso, por exemplo, da novíssima GONZAGA.
    Filha caçula de certa FAMÍLIA PAULISTA.
    Novidade que conferi nesta terça-feira.
    Abriu bem coladinha na MARIA DE LOURDES.
    A esquina tem nome e sobrenome agora...rs
    Parece de musa: Maria de Lourdes GONZAGA.
    Pertinho, um tal TIZÉ paquera a donzela.
    Quem sabe será merecedor de uma DÁDIVA?
    O lugar todo tornou-se point consagrado.
    Ao concentrar alguns gastromosqueteiros.
    D´ARTAGNAN não me deixa mentir sozinho.
    Grande abraço,
    MARCELO BRANDÃO

    ResponderExcluir
  2. Marcelo,

    então além de apreciador da boa vida você é também poeta?

    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Eduardo,
    Perdoe-me a empolgação.
    Deve ser o adiantado da hora...
    ...ou deste desocupado aqui.
    Abraços,
    MARCELO BRANDÃO

    ResponderExcluir
  4. Imagine, Marcelo!

    Seus devaneios são super bem-vindos aqui!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Patricia Cavalcanti26 de março de 2010 11:40

    Caro Eduardo,

    Cirandas fazem parte da vida. Estou em Vitória, ES. Spaço Mahalo. Fui convidada para fazer parte de um projeto muito bacana aqui em Vitória. Um espaço com 1000 m2 construídos que reúne arte, cultura, música, gastronomia, informação e tendências em um só lugar... Music Hall, Restaurante e Art Lounge. Opções contemporâneas, inspiradas na diversidade e traduzidas em um mix de entretenimento valorizando a natureza e o sustentável. Caso venha a Vitória será uma alegria recebê-lo no Spaço Mahalo.
    Saudades de BH...hummmm, os vinhos do Outono 81
    um abraço
    Patrícia Cavalcanti

    ResponderExcluir
  6. Oi, Patrícia!

    Bom falar com você de novo! E é ótimo saber que você está indo bem por aí. Não conheço o Espírito Santo ainda - quem sabe um dia?! Ainda mais com você por aí! Obrigado e boa sorte!

    Abraços.

    ResponderExcluir