quinta-feira, 3 de junho de 2010

Borgevita, self de luxo em Lourdes

Você ainda não ouviu falar dele porque ainda não foi aberto - só na primeira semana de julho. Será um self service de alto nível, me contou Tomaz Gomide, um dos proprietários do futuro restaurante e sócio do Gomide e Atlantico. O imóvel escolhido fica na Rua Marília de Dirceu, também em Lourdes, onde funcionava a loja da Punto It.

Fiquei preocupado quando ouvi isso: para onde iria a ótima sorveteria, então? Mandei um e-mail para a Khênia Strumia, proprietária da Punto It, que me esclareceu a história: a loja é muito grande para abrigar somente a sorveteria e o espaço onde ficava a produção de sorvetes, muito pequeno para os planos de expansão da marca. Associaram-se, então.

Khênia disse que está procurando por novo ponto na Zona Sul: provavelmente a nova loja será aberta no verão que vem. Os sorvetes da Punto It continuarão a venda no local, garantiu. Bom, mas vamos ao Borgevita: funcionará só para almoço, com poucas (e boas) opções de pratos, que serão vendidos à quilo.

Sim, à quilo. Para aqueles que gostam de manifestar desprezo pela comida pesada na balança, Tomaz explica que a opção se fundamenta simplesmente no hábito da maioria. Ou seja, é uma questão de costume. "Boa parte do meu público no Gomide, por exemplo, não gasta mais do que R$ 20 para almoçar. A comida será uma mistura do Gomide com o Atlantico. Não será o corriqueiro. E quero trazer um chef do à la carte. Não quero macaco velho de bufê", adianta ele.

O preço do quilo será em torno dos R$ 40 e haverá carta de vinhos. Aliás, serão muitos os vinhos em meia-garrafa e garrafa de 187ml, com serviço adequado (taças, baldes com gelo, gente para servi-los decentemente etc e tal). Ah, a casa também poderá ser fechada para eventos e funcionará como base para serviço de catering.

É esperar para ver.

16 comentários:

  1. Oi Dudu!

    Olha só, fui reservar uma mesa para dois para o Dia dos Namorados. A pessoa que me atendeu perguntou se eu queria ir antes das 22h30 ou depois desse horário.

    Perguntei como isso funcionava e ele me explicou o seguinte: o restaurante abre às 18h e você pode ficar lá até 22h30, caso prefira a primeira parte da noite. Se quiser chegar depois das 22h30, pode ficar lá até fechar.

    Aí fiquei imaginando o casal apaixonado, naquele clima, tomando um bom vinho, pagando caro pelo menu desta data tão especial, e, de repente, chega o garçom ou gerente, com a conta já fechada, pedindo para você dar licença porque está na hora do novo grupo de namorados. Aliás, o casal não, todos os comensais que preferiram chegar mais cedo (rs). O restaurante todo é tocado pra fora pra 'segunda leva' se acomodar.

    Achei essa portura muito antipática! Parece que querem ganhar o máximo possível com a data. Pelo menos, nunca vi nada parecido por aí.

    Pois bem, esse restaurante é o Atlântico, que eu queria conhecer. Queria... Depois eu verei se quero novamente!

    Abs!

    ResponderExcluir
  2. Tremi quando li que ficará no local onde funciona o Punto It. Amo os sorvetes de lá e sempre simpatizei com os donos. Ainda bem que continuarão no ramo, de fato aquela loja era grande demais para uma sorveteria, sempre temi pela viabilidade do negócio. Quanto à proposta do novo restaurante, achei bem interessante!

    ResponderExcluir
  3. Ótima idéia. No Rio o Antiquarius fez algo similar quando abriu as portas do excelente Da Silva, que serve os deliciosos pratos de bacalhau e outros frutos do mar, no esquema self-service.

    ResponderExcluir
  4. A pergunta não tem nada a ver com o post, mas acho q só vc, entre meus contatos, saberá me responder: onde se come uma boa bureka aqui em Belo Horizonte?
    Agradeço desde já...

    ResponderExcluir
  5. Gui,

    concordo com você que essa postura é um tanto antipática. A gente entende que os restaurantes querem lucrar bastante no dia dos namorados, mas sentar com hora marcada para levantar é algo desconfortável mesmo. Na verdade, várias casas operam dessa forma em datas como essa, só não deixam isso claro para o freguês. Ou seja, vão monitorando os casais que estão sentados e dando previsões de espera para os que estão em pé.

    Bom, mas o Atlantico é uma casa interessante. Deixe passar essa confusão de dia dos namorados e vá lá com calma e "sem reservas".

    Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Pois é, Bruno, também fiquei alividado quando soube que não estavam abandonando o ramo! Quando tiver mais notícias a respeito, aviso aqui no blog.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Clara.

    Vamos torcer para que tenham sucesso nessa proposta. É uma tarefa árdua, tenha certeza!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  8. Adri,

    nunca vi bureka em cardápio nenhum da cidade. Sei que não tem nada a ver, mas o mais próximo disso (e que já não é mais servido) que encontrei foi a esfirra de massa folhada do Al Sultan, árabe na Rua Tomé de Souza. Na verdade essas especialidades meio sem pátria (mundo árabe, Mediterrâneo, Bálcãs, leste europeu, no caso da bureka), são muito difíceis de encontrar por aqui. Em São Paulo tem, para variar!

    Se encontrar por aqui, avise-nos!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  9. Dudu, meu padrinho querido! A propósito desse post sobre self-service chique, deixo um pedido/sugestão.

    Hoje parei meio por acidente no buffet do Minas II, a vinte pratas por pessoa, e achei tudo de altíssimo nível: comida, serviço, local, música ambiente. Você bem sabe que não tenho nada de crítico gastronômico, mas desde que você sugeriu que eu encarasse a ida a um restaurante como uma ida a um show ou museu, tenho ficado mais atento a essa experiência.

    Fiquei bem impressionado com esse buffet do Minas II; até me arrependi de ter servido tudo de uma vez, ao invés de provar cada prato isoladamente.

    Gostei demais do fato de o restaurante ter uma elegância natural, sem o menor indício de afetação, e oferecer o que aos meus sentidos não deixa nada a dever a restaurantes metidos a finos que já andei frequentando, por um preço tão em conta que chega quase a ser injusto.

    Uma hora, dá uma ida lá e divide com a gente seus comentários.

    E aparece, heim! Estamos com saudades de vocês.

    Abraços,
    Guilherme

    ResponderExcluir
  10. P.S.:
    Falando nisso, acho que essa comparação do restaurante com o show, o teatro, o cinema, o livro, o CD, enfim, com um bem cultural a ser lido merece um post só para ela, ou vários posts só sobre ela. Isso é assunto para um lindo livro sobre gastronomia, à espera do autor certo.
    Abração!

    ResponderExcluir
  11. Eduardo,
    Bacana a proposta desta nova casa.
    Deve ser do estilo Villa Gianinna.
    Buffet fino na Pça. Carlos Chagas.
    Na Assembléia,pertinho do Vecchio.
    Mas no Villa, a conta é mais cara.
    Almoço, sobremesa e café por 50,00.
    Creio que o preço do novo é melhor.
    Já que neste sairia por uns 20,00.
    Isso segundo um dos sócios, não é?
    BH terá mais uma opção no gênero.
    E Gomide e Atlântico são padrinhos.
    Sobre o Atlântico, concordo contigo.
    Sempre fui muito bem atendido ali.
    Adoro aquela Lagosta ao Termidor.
    Outros peixes e frutos do mar...rs
    Tomara que seja um mal entendido.
    Sugiro ao Guilherme ligar de novo.
    Converse com ARNALDO, gerente de lá.
    Quem sabe ele esclarece a questão?
    Cordial abraço,
    MARCELO BRANDÃO

    ResponderExcluir
  12. Oi, Guilherme!

    Que ótimo você dividir conosco esse seu relato a respeito do restaurante do Minas 2. Uma pergunta: esse esquema de bufê também é oferecido durante a semana ou somente aos domingos? O preço é ótimo, com certeza. Vou conferir. Obrigado pela dica!

    Vamos combinar algo sim! Você continua sem comer cebola?

    Abraços.

    ResponderExcluir
  13. Ah, Guilherme, e obrigado pelo toque do post! Matutarei a respeito disso certamente.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  14. Oi, Marcelo.

    Também gosto do Villa, mas é preciso ter cuidado para que a conta não vá às alturas! Estou ansioso para ver como vai ficar o tal Borgevita!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  15. João Fernando da Costa11 de junho de 2010 21:53

    Girão, em defesa ao Atlântico, tenho a dizer que estou com hora reservada no Gomide (mesmos donos) que vai funcionar da mesma forma. Questionei a questão dos horários, e a responsável pela reserva, muito simpática, falou que não tem problema algum ficar mais lá. Eles fizeram esses dois agendamentos justamento pq é o tempo médio que o casal fica na mesa, abrindo opção para o próximo casal também namorar no Gomide. Sem lucro, nada funciona. E, como o Dia dos Namorados foi cair no sábado, temos que entender o lado dos empresários e tomar cuidado para não sermos críticos ao extremo.
    Grande abraço e, como sempre, estarei lá para conferir mais uma novidade que descobri através do seu excelente blog.

    ResponderExcluir
  16. Oi, João.

    Que ótimo termos esse retorno seu aqui no blog. De repente a má impressão do Gui (autor do primeiro comentário neste post) foi resultado de um mal entendido. Tomara! Boa sorte para você hoje lá no Gomide!

    Abraços.

    ResponderExcluir