segunda-feira, 14 de junho de 2010

O retorno (do retorno) de Olivier Anquier

Em novembro do ano passado escrevi uma pequena matéria para o caderno Em Cultura comunicando a volta do padeiro francês Olivier Anquier à grade de programação do canal pago GNT. Foram anunciados quatro episódios inéditos, gravados em Angra dos Reis (RJ), São Paulo (SP), Gonçalves (MG) e no lindo sítio da Serra da Bocaina, divisa de Rio com São Paulo, onde gravou os episódios da primeira temporada no canal, entre 1998 e 2002.


GNT/Divulgação

Pois agora o GNT anuncia novamente o retorno do Diário do Olivier. Dessa vez será semana que vem, quinta-feira, dia 24, às 22h30. Os cinco primeiros episódios dessa fornada foram gravados na França, onde Olivier, acompanhado por sua filha Júlia, reencontra pessoas que fizeram parte de sua formação gastronômica. A dupla passeia por Paris, Boissy-Le-Châtel, Coulommiers e por castelos da região do Vale do Loire.

No restante da temporada, informa a assessoria de imprensa do canal, o programa seguirá o formato já conhecido pelos telespectadores. Ou seja, o francês continuará rodando o país em seu fusca verde 1962, dividindo o tempo entre a estrada e sua maravilhosa cozinha na Bocaina, onde ensina a fazer receitas.

As viagens que fez pelo Brasil não foram poucas. Para se ter uma ideia, Olivier percorreu quase 330 mil quilômetros por 21 estados brasileiros ao longo de 10 anos, período em que fez 232 programas, entrevistou 474 pessoas e coletou cerca de mil receitas. Ou seja, podem falar o que quiser, mas ele conhece o país melhor do que a maioria de nós, brasileiros. É preciso tirar o chapéu para ele!

Algumas das cidades que visitará na nova temporada do programa já estão definidas: Silveiras, São José do Barreiro e Guaratinguetá, em São Paulo, e Barra do Piraí, no Rio de Janeiro. Entretanto, o primeiro programa terá Paris como locação. O tema será "Um steak tartare bem diferente".

Com a filha Júlia, visitará nesse episódio uma típica péniche, barco que há mais de dois séculos transitava por rios e canais de quase toda Europa transportando mercadorias e que hoje foi transformado em casa com vista privilegiada para a cidade luz. Olivier chegou a morar numa dessas embarcações - sua mãe teria sido uma das pioneiras da ideia de fazer delas moradias na capital francesa, em 1971.

Por fim, o GNT está preparando página dedicada ao programa (link acima), que estará no ar em breve. As receitas preparadas no programa estarão disponíveis lá, bem como galeria de fotos e vídeos de making of exclusivos. Ah, os horários alternativos são os seguintes: de quinta para sexta-feira, às 5h; sexta-feira, às 10h30; sábado, às 19h30 (exceto no primeiro episódio); e domingo, às 12h30.

E eis aqui o despretensioso resumo que publiquei no pé da matéria que cito no início deste post: Ex-interno de seminário jesuíta, Olivier chegou ao Brasil em 1979. Trabalhou como modelo durante 10 anos e abriu restaurantes e ateliês de pães – sua mais recente investida chama-se L’Entrecôte de ma tante, casa paulistana que serve apenas bife com fritas. Na TV, começou em 1996, à frente de Forno, fogão & cia, na Record. Em 1998, estreou com o Diário do Olivier no GNT, onde permaneceu até 2002. Em 2004, a atração foi rebatizada de Programa do Olivier e passou a ser trasmitida apenas pelo site dele.

13 comentários:

  1. Oi Eduardo.
    Bacana o retorno do padeiro galã.
    Gosto das dicas e das onomatopéias...rs
    (Já reparou nisso nos programas dele?)
    E qual será a história desse fusquinha?
    Achava que era uma lenda até vê-lo rodar.
    Foi em Tiradentes há uns dois anos atrás.
    Ele rodou para lá e para cá, noite e dia.
    De fusca foi até a Beth Beltrão, era dia.
    Pela tarde, pegou a estrada de Bichinho.
    Um abraço,
    MARCELO BRANDÃO

    ResponderExcluir
  2. Marcelo,

    numa das entrevistas que fiz com ele, me lembro de te-lo ouvido falar que já gastou mais dinheiro consertando e arrumando o carro do que o valor pago por ele. O fusca já foi até coadjuvante numa peça teatral encenada pelo Olivier!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Escrevo para informar que seu blog foi um dos 5 ganhadores do Selo Ideias do mês de maio.
    Para conferir basta ir a
    http://ideiasdebarbara.blogspot.com
    e clicar em SELO.
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Oi, Barbara.

    Que bacana a sua iniciativa, fico honrado! Muito obrigado! Parabéns para você e sua equipe! Boa sorte!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Eduardo,
    Felicitações pela bela indicação!
    Merecido o reconhecimento do seu blog.
    Apesar de neófito leitor, sou admirador.
    Congratulações,
    MARCELO BRANDÃO

    ResponderExcluir
  6. Obrigado, Marcelo! Você é um dos "comentaristas" mais ativos deste blog! Aliás, ando sentindo sua falta aqui! Cadê você?

    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Eduardo,
    Para mim é um prazer estar presente.
    Contudo, o dever andou me chamando.
    Trabalhos e provas para corrigir.
    Eu que lhe agradeço a lembrança.
    Mérito da qualidade do seu blog.
    Como disse o hippie: tamosaí...rs
    Abraços,
    MARCELO BRANDÃO

    ResponderExcluir
  8. Eduardo,
    Muito obrigado pela recepção!
    Sobre o Olivier, uma frase recente dele:
    "Sou o fusca e o Atala (chef) é Ferrari".
    Humilde, ele não se julga um chef, pode?
    Fraterno abraço,
    MARCELO BRANDÃO

    ResponderExcluir
  9. Marcelo,

    numa das entrevistas que fiz com ele também ouvi isso, que não se considerava um chef, pois não havia estudado para isso. Mas que ele sabe cozinhar, isso ele sabe. No entanto, é muito confortável se manter na posição de fusca quando a gente sabe que é mais do que isso. Concorda?

    Abraços.

    ResponderExcluir
  10. Oi Eduardo,
    Estou plenamente de acordo.
    E quando o veremos de novo?
    Tem notícias dele por aqui?
    Abraços,
    MARCELO BRANDÃO

    ResponderExcluir
  11. Marcelo,

    que eu saiba, o chef foi à cidade mineira de Gonçalves ano passado gravar um episódio que já foi ao ar. E esteve em Tiradentes numa das edições anteriores. Disse que viria a BH com a peça de teatro dele, mas até agora nada. Aliás, nem sei se esse projeto teatral está ativo.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qual a localização do sítio.
      Att.

      Excluir