quarta-feira, 12 de maio de 2010

O cerrado vem aí

O cerrado é a bola da vez na gastronomia e, pelo menos por enquanto, um dos melhores lugares em BH para conhecer em variedade os sabores dessa região brasileira são as sorveterias especializadas. Aqui e ali a gente encontrava às vezes um sorvete de pequi e a coisa não saía muito disso. Aí veio a sorveteria Frutos do Cerrado e apresentou a cidade boa variedade desses sabores. Visitei a loja pela última vez na avenida Alfredo Camarate, na Pampulha, mas já me disseram que foi fechada e reaberta (melhorada, dizem) no Castelo - a conferir.

Mais recentemente fui conhecer outra sorveteria com essa proposta, a Sabor do Cerrado, no Santo Agostinho (Rua Mato Grosso, 960, loja 3; 31 2514-2226), e fiz matéria para o caderno Divirta-se. Gostei muito dos sorvetes de lá. E também gostei de saber que não trabalham com casquinhas (só copinho de isopor reciclado), nem com aquelas caldas e confeitos que emporcalham o bom sorvete. Vamos combinar: despejar cobertura sobre um raro sorvete de araticum é um pecado.


Como podem ver na foto, a variedade de sabores de lá (são dezenas) inclui não só os do cerrado (cagaita, baru, pequi, mangaba, buriti, gabiroba, jatobá, mutamba e por aí vai), como também os amazônicos (cupuaçu, taperebá, graviola) e, para agradar a todo mundo, os tradicionais. Recomendo fortemente o sorvete de murici. Conheci a fruta não no cerrado, mas na ilha de Marajó, no Pará, ano passado, onde também a chamam de muruci. Comi direto no pé e me espantei com o quanto era gostosa, marcante, pungente, com sabor que lembra o do parmesão. Depois, já em Belém, corri para a mítica sorveteria Cairu para experimentar a fruta transformada em sorvete e me esbaldei...

Saindo um pouco do cerrado, recomendo também o picolé de melancia da Sabor do Cerrado:


Refrescante, delicioso e ainda vem com as sementinhas, que em nada atrapalham - aliás, como virou hábito dizer hoje em dia, "conferem textura" ao produto.

14 comentários:

  1. Eu adoro sorvete!
    Pena que esse aí tá muito escondido e num lugar pouco acessível!

    ResponderExcluir
  2. Uai, Adri, o Santo Agostinho é um bairro bem central, não acha?

    ResponderExcluir
  3. Babei só de ver as fotos e tem sabores que nunca provei. Vou lá! Ótima dica!
    Bj,
    LD

    ResponderExcluir
  4. LD,

    vamos juntos lá qualquer dia desses, ora bolas!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. Nossa, fiquei louco de curiosidade com essas frutas que nunca ouvi falar e não imagino como seja o sabor! Gostei da política de não ter caldas e confeitos.

    ResponderExcluir
  6. Bruno,

    vale a pena dar uma passada com calma por lá, pois como os sabores são muito diferentes do que estamos habituados a encontrar por aí, é preciso certo tempo para entender as diferenças entre cada um na boca. É preciso compará-los para começar a estabelecer o que significa cada fruta em termos de sabor.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Você nem tem idéia da quantidade de frutas do cerrado...Tentei plantar um pé de murici aqui e não vingou....êita.......que dó. Minha origem não me deixa esquecer destas delícias doidamente maravilhosas. Fazia doces no extinto Pequi Roído (o doce de buriti em forma de pudim, deixou saudades) e de vez em quando, nas minhas andanças por MOC (que deveriam ser mais frequentes) ainda consigo trazer estas coisas sensacionais e altamente saborosas para matar a vontade. E o tamarindo? Vichi mãe..tudo espetacular demais. Que me perdoe as outras regiões, mas este cerrado é abençoado. Ainda bem que nascí lá encima no mapa. Vou lá neste lugar da próxima ida em BH.
    Abração,
    Luciene Martins Rêgo

    ResponderExcluir
  8. Curiosamente o araticum, chamamos de cabeça-de-nêgo...........Parece mesmo...
    Luciene

    ResponderExcluir
  9. Luciene,

    não deixe de conferir a sorveteria. Vale muito a pena. Mas, como disse ao Bruno, vá com tempo para conseguir assimilar as diferenças entre os sabores. Pensando bem, no seu caso isso não é tão necessário, pois já é doutora em cerrado!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  10. Eu tava falando da que era na Pampulha... As duas são a mesma então? Agora fiquei confusa...

    ResponderExcluir
  11. Adri,

    elas não são a mesma loja. A sorveteria que ficava na Pampulha se chama FRUTOS DO CERRADO e foi transferida para o bairro Castelo. A sorveteria a qual me refiro nesse post (e onde experimentei sabores e fiz essas fotos) é a SABOR DO CERRADO, que fica na Rua Mato Grosso, 960, Santo Agostinho.

    Abraços.,

    ResponderExcluir
  12. Esta semana estou em BH e aproveitei uma ida ao Diamond para dar uma volta nos arredores. Já na rua lembrei dessa dica do blog e fui lá provar.

    Como recomendado, é preciso controle para não sair misturando tudo nesse sistema a quilo. Bate aquela curiosidade de provar tudo, mas me segurei e restringi a 4 sabores, todos de frutas que não conhecia o sabor. Também no começo dei uma colherada em cada um, mas não "rolou" a confusão hehe Passei a focar em só um sabor/bola até terminá-lo, para conseguir "compreender" e "processar" os sabores. Minha péssima memória me faz confundir os nomes todos agora (se fosse lá saberia quais provei pela cor/textura) mas certo que um deles foi o de murici, com certo sabor de parmesão. Que troço diferente, sô!

    Ótima dica do blog, mesmo sabendo o quarteirão onde se localizava, ainda tive que ficar bem atento. A sorveteria tem fachada estreita e discreta, entre várias lojinhas no mesmo quarteirão. Numa caminhada passaria despercebida para mim. abs

    ResponderExcluir
  13. Oi, Bruno.

    Que bom que você conseguiu ir lá conferir! Realmente é um lugar que vale a visita, não? Estou com saudades do murici!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir